Os cidadãos desejam resolver as demandas do cotidiano de maneira cada vez mais simples e rápida. Mas de que maneira os governos podem colaborar para que a população seja contemplada com serviços mais acessíveis e de alta qualidade? A resposta é apostar na transformação digital no setor público.

Neste post, vamos abordar o cenário da transformação digital na administração pública, o impacto dela no governo e as ações para ela ser efetivada de maneira mais rápida.

Também vamos destacar a gestão aplicada em dados e soluções que ajudam a melhorar a performance do setor público. Confira!

O cenário da transformação digital nos órgãos públicos

No Brasil, existem algumas ações voltadas para a transformação digital na gestão pública. Um bom exemplo são o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal. Ambos contam com serviços para os clientes que podem ser acessados pelo smartfone.

Dessa forma, o cidadão pode resolver, com extrema facilidade, diversas demandas na palma da mão. Essa tendência está começando a ganhar corpo no Brasil, com alguns estados (Espírito Santo, Pará e São Paulo) lançando aplicativos para tornar os serviços públicos mais próximos da população.

A transformação digital permite o uso de recursos tecnológicos (Big Data, Internet das Coisas, tecnologias mobile etc.) para aperfeiçoar as ações governamentais. Contudo, há um longo caminho a percorrer para a administração pública brasileira apresentar uma grande quantidade de serviços digitais.

Em muitas prefeituras, por exemplo, grande parte dos trabalhos é feita de maneira manual. Além disso, a ausência de uma política que priorize o uso da tecnologia da informação para melhorar a gestão pública é outro fator que dificulta a modernização dos serviços.

Se não houver uma conscientização dos gestores e uma maior pressão popular, a implantação de uma administração pública digital no Brasil ficará apenas no papel e em raros exemplos.

O impacto da transformação digital no setor público

A transformação digital pode proporcionar uma série de vantagens para as organizações, como:

  • mais facilidade para finalizar as tarefas;
  • acesso mais rápido às informações;
  • mais eficiência no uso dos dados;
  • controle de processos mais bem executado;
  • melhoria do atendimento para o público-alvo.

Com a assinatura digital, um documento pode ser enviado rapidamente de uma Secretaria de Estado para uma prefeitura do interior. Isso permite a liberação mais rápida de recursos e a execução das ações em um prazo menor, favorecendo a população.

À medida que o avanço tecnológico é inserido na sociedade, maiores são os benefícios para os cidadãos e as instituições. Pensando nisso, o Governo Federal publicou, em março, o Decreto 9.318, que cria o Sistema Nacional para a Transformação Digital (SinDigital).

O documento tem como objetivo implantar a Estratégia Brasileira para a Transformação Digital (E-Digital). Nela, estão previstas 100 ações que vão priorizar a inovação e a digitalização em diversos segmentos da sociedade até 2022, como:

  • agronegócio;
  • indústria;
  • serviços.

Além de aperfeiçoar o atendimento ao cidadão, a nova política visa dar mais dinamismo à economia, propiciando a geração de mais emprego e renda. Para isso, ela terá ações direcionadas para infraestrutura de redes de acesso à rede mundial de computadores, capacitação profissional e educação, por exemplo.

A E-Digital também pretende aumentar o uso da Internet das Coisas na administração pública e em diversos setores econômicos, com foco no crescimento sustentável.

A importância de acelerar a transformação digital nos órgãos públicos

Mesmo com tantos benefícios para a sociedade, a transformação digital está caminhando a passos lentos na administração pública. Um dos motivos é a dificuldade de alguns gestores e funcionários públicos compreenderem a necessidade de mudança para prestarem um melhor serviço à população.

É natural os servidores públicos terem resistência a mudanças, porque estão acostumados a executar uma tarefa da mesma forma há muito tempo. Isso mostra que é crucial uma conscientização de como a inovação tecnológica pode tornar os trabalhos mais ágeis, simples e eficientes.

É imprescindível provar que a transformação digital no setor público deve ser efetivada, para o cidadão contar com um atendimento mais qualificado e que proporcione melhor qualidade de vida.

O uso da gestão aplicada em dados

Muitos órgãos públicos adotam softwares para executarem diversas tarefas. Hoje, a administração pública conta com um grande volume de informações para administrar. Esse cenário favorece a gestão aplicada em dados.

Por meio dela, é possível cruzar uma série de informações que ajudam a aperfeiçoar os serviços prestados. Por exemplo, a Secretaria de Estado de Educação do Mato Grosso do Sul tem uma solução que permite coletar vários dados das escolas que abrangem a comunidade escolar, os diretores e os alunos.

Assim, são obtidas informações sobre a infraestrutura, a limpeza e a alimentação dos alunos. Dessa forma, é viável fazer investimentos para melhorar a qualidade do ensino e propiciar mais conforto aos estudantes e professores.

Mas de que forma verificar que a aplicação dos recursos públicos está obtendo bons resultados? A resposta é por meio do cruzamento de dados (data science), que verifica a relação do desempenho dos alunos em provas nacionais (Enem e outras) com o investimento feito nos colégios.

A partir dessa análise, é viável concluir se o investimento tem uma relação direta na qualidade do ensino. Isso permite que uma secretaria avalie como a gestão de uma escola pode ser aperfeiçoada.

A adoção de soluções para gestão pública

Hoje, há diversas ferramentas que contribuem para implantar a transformação digital no setor público. Uma delas é o Papel Zero, que realiza a assinatura digital de documentos de maneira segura e transparente. A solução propicia ganho de tempo nos processos e economia de recursos públicos.

Outro software que apresenta bons resultados é o Cheff Escolar. Ele possibilita que as secretarias de educação gerenciem as receitas destinadas à merenda de todos os alunos de forma simples e prática.

Além disso, contribui para que sejam elaborados cardápios, de acordo com as necessidades nutricionais e as características alimentares dos estudantes de cada região. Ou seja, a ferramenta não apenas permite acompanhar o andamento dos recursos, mas também ajuda a melhorar a qualidade de vida dos alunos.  

Com certeza, a tecnologia da informação é um diferencial importante para a administração pública ter mais condições de contemplar as demandas da população, gerenciar melhor as finanças e obter resultados mais expressivos.

Se você deseja ter mais informações sobre a transformação digital no setor público, curta a nossa página no Facebook agora mesmo. Afinal, estar bem informado é um bom caminho para a melhoria contínua!