Cada vez mais presente na rotina dos brasileiros, a tecnologia tem auxiliado os órgãos públicos a oferecerem melhores serviços à população. Esse objetivo fica mais próximo com o auxílio da governança de TI.

Por meio de melhor condução aos projetos, os gestores garantem que níveis de serviço, gestão por indicadores, agilidade e transparência governamentais reflitam em sua motivação e reconhecimento no setor público.

Neste artigo, indicaremos como a governança de TI pode ser implementada no setor público e quais benefícios trará nos serviços prestados à população. Acompanhe!

Objetivos da governança de TI

A governança de TI tem como objetivos alinhar a tecnologia da informação aos negócios e estabelecer um processo transparente para a tomada de decisões.

Com a definição de padrões a serem seguidos, essa governança possui um conjunto de práticas, processos, papéis, políticas e responsabilidades com a finalidade de:

  • garantir a segurança da informação;
  • fazer alinhamento estratégico;
  • entregar valor;
  • minimizar os riscos;
  • reduzir custos;
  • aumentar a qualidade;
  • otimizar a aplicação dos recursos.

Todas essas metas devem ser almejadas em alinhamento com os objetivos do órgão.

Governança de TI no setor público

Diante dos benefícios apresentados e da incessante busca de melhorias na prestação de serviços, a governança de TI no setor público auxilia o governo a melhorar a qualidade dos serviços oferecidos à população.

Gestores públicos que se apoiam nessa prática encontram soluções em relação a questões ambientais, sociais, econômicas e culturais, além de ampliarem a sua capacidade de se comunicar de forma transparente.

As principais vantagens ao realizar a implantação das práticas da governança de TI são:

  • melhorar a eficiência nos processos internos;
  • resolver os problemas e agir proativamente;
  • garantir a automatização dos processos, economizando tempo e dinheiro;
  • aumentar a qualidade no desenvolvimento, com redução do número de falhas e do desperdício de recursos;
  • melhorar a segurança de toda informação, evitando que dados e informações sigilosas sejam vazados.

Implementação da governança de TI no setor público

Cabe aos gestores de cada setor dentro dos órgãos públicos a responsabilidade de implementar essa metodologia, uma vez que são os tomadores de decisão e os responsáveis pelo suporte aos diretores com informações para melhor gestão pública.

É importante ressaltar que não há um modelo único ou uma única solução adequada para todos. Na maioria das vezes, não é possível utilizar em um órgão um modelo que foi bem-sucedido em outra organização, uma vez que cada corporação tem particularidades e necessidades próprias.

Frameworks para governança de TI

Alguns frameworks, como PMBok, COBIT e ITIL, facilitam a implantação da governança de TI e possibilitam que sejam extraídos somente os pontos necessários para atingir esse objetivo, levando em consideração os aspectos culturais e estruturais de cada instituição.

Entre eles, o ITIL é o framework que melhor auxilia a prática da governança de TI. Confira a seguir as razões para isso.

ITIL na gestão pública

O ITIL (Information Technology Infrastructure Library ou biblioteca de infraestrutura de tecnologia da informação) possui uma coleção de melhores práticas detalhadas e importantes para os serviços de tecnologia da informação, com procedimentos e responsabilidades que podem ser adaptados para qualquer organização.

Ele é um framework conhecido por ser de “consenso comum”, baseado em processos. O ITIL é baseado nos sistemas de qualidade, tais como a ISO-9000.

Esse conjunto de boas práticas auxilia que a TI entregue serviços alinhados com a necessidade do negócio, gerando valor, com alta qualidade, baixo custo e baixo risco, em busca da satisfação do cliente.

Para que isso seja conduzido de forma responsável e organizada por um provedor de serviço, é necessário o adequado gerenciamento de serviços, como a distribuição dos papéis e responsabilidades aos participantes envolvidos.

Para implantação dos processos ITIL, há alguns passos que podem ser seguidos e que ajudam a colocar a governança de TI em prática.

Implantação de ITIL

Estratégia de serviço

Conceitualmente, o principal objetivo é fornecer as diretrizes para os outros estágios do ciclo de vida do serviço, além de transformar o gerenciamento de serviços em um ativo estratégico, de grande importância para a organização. Assim, o intuito é pensar em todas as demandas e necessidades de serviços antes de colocar a mão na massa efetivamente.

Os profissionais de TI estão acostumados a primeiro fazer e depois pensar em quem utilizará, desperdiçando muito tempo e recursos sem o devido retorno. A estratégia definirá onde o provedor de serviços está, aonde quer chegar e o que fazer para chegar ao objetivo.

Desenho de serviços

Busca detalhar como a TI vai atender o cliente. Algumas atividades dentro desse ponto são:

  • analisar requisitos, documentar e acordar (recebidos da estratégia — portfólio);
  • desenhar a solução;
  • avaliar soluções alternativas;
  • adquirir a solução preferida;
  • desenvolver a solução.

Transição de serviços

O principal objetivo é assegurar que qualquer mudança resulte em menor impacto para a organização, composto por um conjunto de processos e atividades para a transição dos serviços no ambiente de produção.

Operação de serviço

Coordena e realiza as atividades e processos necessários para fornecer e gerenciar serviços em níveis acordados com o usuário e clientes do negócio.

Melhoria de serviços

Responsável por avaliar e medir o resultado dos serviços realizados. Alguns passos que ajudam nesse processo de melhoria são:

  • definir o que deve ser medido;
  • definir o que você pode medir;
  • coletar dados;
  • processar dados;
  • analisar dados;
  • apresentar e usar a informação;
  • implantar ação corretiva.

Embora estabeleça objetivos e tarefas, entradas e saídas de cada um dos processos encontrados em uma organização de tecnologia da informação, o ITIL não indica uma descrição específica a respeito da execução dessas atividades, uma vez que elas são próprias de cada organização.

Exemplos de sucesso da governança de TI na gestão pública

Comuns no mercado corporativo, essas metodologias já estão em prática em órgãos públicos. O Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) adota um modelo próprio de governança de TI para garantir o constante aperfeiçoamento dos serviços prestados.

Conforme definição do próprio Serpro, “trata-se de um conjunto de melhores práticas assumidas por todos os atores da instituição, com o intuito de garantir controles efetivos, minimizar riscos, ampliar o desempenho, otimizar a aplicação de recursos e orientar as decisões”.

Os benefícios percebidos pelo Serpro podem ser desfrutados por outros órgãos públicos. Ao padronizar processos, a governança de TI permite que os gestores superem desafios, prestem melhores serviços à população e impactem a vida de milhares de brasileiros.

Quer ter acesso a mais conteúdos sobre como o setor público pode melhorar os seus serviços? Assine a nossa newsletter e receba conteúdos como este diretamente na sua caixa de entrada!