A escassez de empregos, os bons salários e a estabilidade fazem com que muitas pessoas busquem uma oportunidade na administração pública. Por outro lado, o modelo mental e a dificuldade de implantar novas ações são desafios enfrentados pelo servidor público para prestar um atendimento de alto nível à população.

Honestidade e cortesia são aspectos admirados pelo cidadão, mas só isso não é o suficiente para satisfazê-lo. Hoje, é fundamental que as instituições públicas sejam mais ágeis não apenas para resolver as demandas urgentes, mas também para antecipar soluções de eventuais problemas que possam surgir.

Neste post, vamos destacar iniciativas que contribuem para melhorar o trabalho dos órgãos públicos, a inserção da tecnologia nesse processo e as novas tendências na relação do poder estatal com os cidadãos. Confira!

Conheça ações que estimulam a inovação no setor público

A interatividade e a transformação digital não podem se restringir somente à iniciativa privada. A administração pública, aos poucos, está adotando novos procedimentos que visam torná-la mais dinâmica e conectada com os anseios da sociedade. Acompanhe!

Coworking

Nas grandes cidades, é comum haver espaços em que profissionais de várias especialidades estão reunidos no mesmo local para trocar experiências e fomentar o empreendedorismo. Esse modelo de trabalho é chamado de coworking e está conquistando um maior número de adeptos no Brasil.

Uma prova disso é que a prefeitura de Curitiba lançou o Worktiba, um espaço com foco no empreendedorismo e na busca de alternativas para aperfeiçoar os serviços oferecidos à população que é administrado pelo município. Além de estimular a criatividade, essa iniciativa mostra que o poder público se mostra mais aberto a ouvir as pessoas.

Serviços públicos digitais

A tecnologia veio para ficar e mudar o hábito dos cidadãos. Hoje, a internet possibilita realizar uma série de atividades por meio de um computador ou smartphone, como fazer compras, assistir aos programas favoritos, pagar contas e ler livros.

De olho nessa tendência, o setor público brasileiro, de forma tímida, está investindo na oferta de serviços digitais. Por isso, a tecnologia da informação deve ter um papel estratégico nas políticas públicas.

É crucial que um cidadão possa resolver em um site ou aplicativo algumas demandas, como:

  • agendar consultas médicas em um posto de saúde ou em um hospital público;
  • marcar atendimento presencial em uma repartição pública;
  • acessar boletos para pagar tributos;
  • abrir uma empresa.

Oferecer serviços mais ágeis, eficientes e voltados para a comodidade do cidadão apenas será possível caso haja planejamento e incentivo à inovação. Para isso, o servidor público precisa ter uma visão mais estratégica da administração e sensibilidade para compreender as demandas sociais.

Simplificação de processos

Apostar em serviços públicos mais velozes vai além da implantação de novas tecnologias. É necessário viabilizar maneiras de simplificar os métodos de trabalho. Isso pode ser feito de várias formas, por exemplo:

  • decidir com dados: é importante fazer pesquisas com os usuários sobre a qualidade dos serviços e mensurar o tempo de atendimento. Essas informações podem ser utilizadas para implantar novas ações voltadas para a melhoria dos trabalhos;
  • priorizar a simplicidade: diminuir o número de documentos a serem preenchidos e torná-los mais simples é uma medida para o setor público ser menos burocrático;
  • pensar na acessibilidade: o usuário precisa localizar os serviços com rapidez e consumi-los com facilidade em qualquer lugar. Isso deve envolver todas as pessoas — principalmente as com necessidades especiais;
  • dividir mudanças em etapas: uma maneira inteligente de implantar um novo serviço é promovê-lo em etapas por meio de testes. Antes de lançar um aplicativo, procure testá-lo para identificar falhas e corrigi-las;
  • avaliar tendências: o servidor público precisa compreender a postura do cidadão da mesma forma que uma empresa analisa os seus clientes;
  • estar aberto a compartilhar ideias: o funcionário de uma repartição pública deve ser receptivo a ouvir as opiniões dos colegas de trabalho e dos usuários de um serviço.

Pensamento Lean

Ter um governo enxuto e mais flexível é uma das vertentes do pensamento Lean. Ou seja, a administração pública deve ter uma estrutura que se adapte melhor às necessidades do cidadão.

Isso não significa que o poder público deva ter menos servidores ou reduzir os serviços oferecidos. Na verdade, é necessário utilizar melhor os recursos disponíveis para resolver as demandas com mais rapidez e antever tendências.

O pensamento Lean prevê que as ações devem fazer parte de um aprendizado por meio do feedback obtido junto à população. Nesse caso, a gestão pública deve interagir com as pessoas, visualizando-as como clientes dos seus serviços.

Assim, os servidores públicos mostram mais flexibilidade e capacidade de analisar a conjuntura e de identificar erros nas ações.

Entenda por que o servidor público deve usar a tecnologia

O servidor público também precisa estar alinhado com as mudanças proporcionadas pela transformação digital. Ou seja, ficar anotando todas as informações em um pedaço de papel e guardar os dados em pastas são procedimentos que devem ser abandonados.

Hoje, o agente público deve valorizar os aplicativos como forma de interação com os demais servidores e a sociedade. Também deve aproveitar o potencial da computação em nuvem para acessar informações relevantes sobre os serviços em qualquer lugar com acesso à internet, agilizando a tomada de decisão.

Dependendo da infraestrutura da instituição, é possível ainda adotar as videoconferências como opção para se reunir com colegas de trabalho e com fornecedores. A medida ajuda a reduzir custos e perda de tempo com deslocamentos, contribuindo para aumentar a produtividade.

Além disso, não se pode ignorar a Internet das Coisas — Internet of Things (IoT) —, pois ela tem um grande potencial de crescimento nos próximos anos. No setor público, ela pode agregar na melhoria dos serviços. Uma prova é o videomonitoramento das ruas para acompanhar o trânsito e elucidar crimes.

Veja as novas tendências no relacionamento com o cidadão

Para aperfeiçoar as atividades, a gestão pública está adotando novas formas de interagir com os diversos segmentos da sociedade. Confira!

Gestão de indicadores inovadores

Verificar como o cidadão está avaliando os serviços por itens, como simplificação no atendimento, felicidade ao resolver as demandas, entre outros.

Articulação com o setor privado

As parcerias público-privadas e os hackathons (eventos com programadores para desenvolver sistemas e aplicativos) são exemplos de aproximação com a iniciativa privada na busca do aperfeiçoamento dos serviços.

Maior participação na formulação de políticas públicas

Pela internet ou por meio de audiências públicas, o cidadão pode sugerir ações que devem integrar o orçamento de um órgão público. A medida é uma forma de promover o engajamento e a interação entre governo e sociedade.

Com certeza, o servidor público precisa desenvolver a capacidade de conviver com as mudanças e de enxergar oportunidades de evolução.

Se você gostou deste post, compartilhe-o agora mesmo nas suas redes sociais. O conhecimento deve estar ao alcance de todos!