A transformação digital trouxe uma série de novas tecnologias cujo impacto na sociedade é significativo. Isso faz com que o momento atual seja de repensar estratégias. E não se trata de uma exclusividade das empresas. Em todo o mundo, os governos e demais órgãos de gestão pública buscam na tecnologia as soluções que mais precisam.

E os resultados têm sido muito interessantes. Ainda assim, é natural ter algumas dúvidas ao relacionar essas ferramentas com os desafios da gestão pública, principalmente quando isso envolve o mundo digital.

Criamos este post para esclarecer as principais dúvidas. Mostraremos quais são os principais desafios da atualidade e como a tecnologia pode ajudar a superá-los. Confira!

O que é gestão pública e quais são seus desafios?

A gestão pública pode ser entendida como um campo de conhecimento e de atuação que visa organizar e gerenciar os processos de interesse da população. Internamente, ele envolve práticas como legislação, tributação, fiscalização, regulamentação etc. 

Grosso modo, os órgãos de gestão são separados em setores, para que cada um possa lidar com uma questão específica, ainda que isso possa englobar áreas mais amplas. Dois bons exemplos são as Secretarias de Educação, Segurança e Transporte, que exercem os processos de gerenciamento desses serviços em nível municipal ou estadual.

Toda organização precisa de um responsável por planejar, coordenar e avaliar os serviços oferecidos à população. Nesse caso, quem assume tal papel é o gestor público, que aplica conceitos da ciência da administração visando otimizar os processos de rotina do órgão no qual ele atua.

Entretanto, naturalmente, existe uma série de desafios ligados ao planejamento e à execução dessas atividades. Nesse sentido, um destaque importante, que tem sido muito cobrado pelo cidadão brasileiro, é a transparência dos processos e serviços públicos.

Em tempos de crescente engajamento político, a população sente a necessidade de saber o que está sendo feito, de que forma e por quem. Da mesma forma, as pessoas querem acesso às informações e aos serviços com rapidez e clareza. O problema é que, historicamente, isso era sinônimo de burocracia estatal, filas e morosidade.

Por outro lado, há também desafios relacionados às próprias estratégias de gestão. Para atender às demandas da população com rapidez, os órgãos públicos precisam desenvolver soluções com velocidade. Assim, a burocracia, mesmo que em muitos sentidos necessária, não pode mais representar um obstáculo para o serviço público.

O uso de papel, por exemplo, torna os processos de solicitação e aprovação de serviços muito lento. Quando tudo é feito pelos correios, o envio e a homologação de documentos é demorada, algo que não condiz com a realidade de cidadãos que utilizam a internet para pagar contas e resolver a maioria dos seus problemas.

Vale ainda destacar a própria manutenção e reciclagem da capacitação profissional dos servidores públicos. Com um sistema de contratação mais burocrático, é difícil contar com mão de obra especializada quando surge um problema muito específico.

No caso da TI, por exemplo, esse desafio é ainda maior. O conhecimento para usar diferentes ferramentas, linguagens de programação e metodologias varia muito de um profissional para outro. Criar softwares para o setor público pode não ser tão simples sem a flexibilidade característica dos funcionários do setor privado.

Por isso, é essencial contar com o suporte da tecnologia, tanto no âmbito dos processos internos como da relação com a população em geral. E é importante ter em mente que já existem alternativas mais eficazes para combater diversos problemas, como mostraremos a seguir.

Como a tecnologia colabora com a gestão pública?

Para que seja possível dar visibilidade aos processos de gestão, o governo criou as Leis da Transparência e de Acesso à Informação. Por meio delas, os órgãos públicos encontram normas que auxiliam o desenvolvimento de mecanismos para que o cidadão possa averiguar, por exemplo, se a responsabilidade fiscal está sendo praticada.

A transparência, como citamos anteriormente, é de extrema importância. Com smartphones e tablets em mãos, a população quer ter acesso às informações dos serviços públicos. O que vemos hoje é um processo de implementação de plataformas que permitem essa troca de dados com mais facilidade.

Um exemplo interessante é o acompanhamento escolar. Em alguns municípios brasileiros, é possível encontrar sistemas que dão aos pais o acesso ao boletim dos filhos — com suas notas, frequência e outras informações inseridas pelos professores.

Já em relação à burocracia, a tecnologia se mostra ainda mais eficiente. Alguns softwares tornam 100% digital o processo de aprovação entre órgãos públicos. Em vez de enviar e receber documentos impressos pelos correios, o procedimento é inteiramente feito pelo computador.

Uma tramitação que antes demorava semanas hoje pode ser resolvida em minutos! Para complementar, é possível digitalizar também a gestão de convênios. As plataformas desenvolvidas especificamente para essa finalidade otimizam a comunicação entre órgãos públicos e as prestadoras de serviço.

Além de facilitar a gestão dos contratos, unificando e digitalizando o armazenamento de documentos, esses sistemas facilitam a prestação de contas. Resumidamente, a grande maioria dos processos realizados pelo setor público podem ser melhorados e, muitas vezes, automatizados pela tecnologia.

É preciso reavaliar a estratégia de cada órgão de gestão e superar a tendência dos servidores de negar a implementação de mudanças — afinal, o engajamento coletivo é crucial para o sucesso de qualquer mudança desse tipo.

Quais são os principais benefícios da adoção da tecnologia?

Em primeiro lugar, os processos se tornam muito mais rápidos e transparentes. Mesmo o atendimento à população, como no exemplo sobre o acompanhamento escolar, tende a ser acelerado. O mais interessante é que, em paralelo, a carga de trabalho dos servidores é reduzida, já que as longas filas se tornam desnecessárias.

Essa informatização é sem dúvidas um dos maiores diferenciais dessa nova era da tecnologia. A relação do setor público ganha não só ao garantir serviços de maior qualidade à população, mas por promover a eficiência em sua gestão interna.

Os convênios deixam de estar sujeitos a falhas causadas pela burocracia. Os documentos podem ser acessados de qualquer lugar e, ainda assim, serem mantidos seguros por um sistema de autorização controlado. Consequentemente, o volume de papel impresso é quase eliminado, o que significa uma importante redução de custos.

Para complementar, as Parcerias Público-Privadas (PPPs) ganham ainda mais relevância. Por meio delas, soluções inovadoras podem ser desenvolvidas e cada vez mais processos são transferidos para o ambiente digital.

A tendência é que o uso de papel chegue a zero em pouco tempo, otimizando processos e conferindo mais segurança à informação.

Como você pode ver, os benefícios são muitos — tanto para a população quanto para o governo. Faça uma análise dos principais desafios da gestão pública e veja como a tecnologia pode ser uma aliada cada vez mais importante em seu dia a dia!

Gostou do post? Então, inscreva-se em nossa newsletter para receber mais conteúdos gratuitos sobre o tema!